Enquadramento

congressos loule faro progitape 01
congressos loule faro progitape 02
congressos loule faro progitape 02
Centro de congressos-loule-faro-progitape-01 de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé
Centro de Congressos de Loulé

O projeto do Centro de Congressos de Loulé  procura tirar partido dos espaços e relações entre as principais áreas de actividade da zona de Loulé, uma vez que é, seguramente, nesse âmbito que se irá produzir o intercâmbio de relações mais interessante do ponto de vista espacial, arquitectónico e social.

Por outras palavras, uma dinâmica próxima das que resultam de uma praça de uma pequena cidade.

(A arquitectura não conseguiu, até agora, inventar um espaço, capaz de desempenhar melhor e com mais dignidade, a função de relacionar as pessoas).

Solução

A definição deste espaço de relação, que, finalmente, se desenvolve em dois níveis, decorre da climatologia da zona.

Considerámos que devia existir essa grande praça pública e aberta, mas também pensámos que era necessário dispor de um espaço similar protegido das inclemências do clima.

Tanto do forte sol do Algarve, como da chuva, frio e vento que se fazem sentir no Inverno.

A topografia, e a implantação do edifício favoreceram as nossas intenções, e permitiram a criação destes dois espaços de relação, com pouca dificuldade e de uma forma muito natural.

Cada uma das posições das áreas de actividade está condicionada por factores de acessibilidade e conveniência. Pelo seu lado, o grande auditório converte-se no centro de atracão. O ponto central do organismo.

Estabelece assim, uma relação de carácter hierárquico, muito visível na arquitectura do conjunto.
Do ponto de vista funcional o auditório, é o centro do mundo deste pequeno universo.

Representa o altar central, de uma hipotética catedral da sociedade civil e está destinado a albergar as mais altas manifestações que a nossa sociedade é capaz de produzir.

Foi também por isso, que adquiriu o direito a ocupar um lugar relevante dentro do conjunto.

As duas praças, a níveis distintos, seccionam os espaços dos contentores das diversas actividades, permitindo a acessibilidade a cada uma delas a esses níveis.

Esta circunstância permite organizar e hierarquizar facilmente as diferentes funções que cada espaço deve enfrentar.